Bitcoin Forum
January 25, 2020, 08:12:55 AM *
News: Latest Bitcoin Core release: 0.19.0.1 [Torrent]
 
  Home Help Search Login Register More  
  Show Posts
Pages: [1] 2 »
1  Local / Português (Portuguese) / Hermanos x Cryptos - Startups de cripto tentam salvar a Argentina de si mesma on: January 22, 2020, 01:42:06 AM
Reportagem sobre como as startups de criptos estão tentando salvar a economia argentina (ou pelo menos as economias dos argentinos)

"The cryptocurrency startups trying to save Argentina from itself"
"By holding their money in “stable” cryptocurrency, Argentines might avoid the notorious volatility of their peso. First, though, they have to be persuaded."

https://www.technologyreview.com/s/613546/the-cryptocurrency-startups-trying-to-save-argentina-from-itself/?utm_medium=tr_social&utm_campaign=site_visitor.unpaid.engagement&utm_source=Facebook#Echobox=1579623433
2  Local / Brasil / Minha resposta no Quora sobre regulação de criptomoedas on: September 26, 2019, 04:47:52 AM
Respondi uma pergunta sobre regulação de criptomoedas no Quora. Posto o link aqui porque pode ser útil pra mais gente. Se quiserem dar palpite sobre coisas que eu possa melhorar na resposta, fiquem a vontade (tanto direto pelo quora, como por aqui).

O que você acha sobre a regulação de criptomoedas? Resposta de João Ferreira
3  Local / Brasil / CVM indo atrás da Atlas? on: August 14, 2019, 03:53:56 AM
Recebi esse email da Atlas Quantum hoje:

Quote
Caros clientes,

O Atlas Quantum informa que recebeu no dia 13/08/2019, às 19h10min, um ofício da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinando a abstenção da oferta pública de arbitragem no Brasil. Cumpriremos a determinação da CVM.

Interrompemos a publicidade no Brasil e continuamos a operar, atendendo a nossos clientes normalmente. Informamos que a distribuição de rendimentos, saques e depósitos continuam funcionando como de costume.

Acreditamos no mercado de criptomoedas e na democratização da geração de patrimônio. Adotaremos as medidas necessárias para reverter a decisão e construir um ambiente regulatório saudável aos investidores do país.

Agradecemos a confiança de todos.

Em caso de dúvidas, estamos disponíveis 24 horas por dia em nossos canais oficiais
4  Local / Brasil / Mini resenha: Biscoint Buy on: May 22, 2019, 05:50:57 PM
Entrei no Biscoint hoje pra comparar o preço das exchanges e vi uma novidade: Eles agora vendem (ou revendem, não entendi bem o processo) Bitcoins também.

O preço está pau a pau com as exchanges mais baratas (na hora que comprei era a foxbit a mais barata, o preço estava igual ao da foxbit). Fácil de usar: você cadastra, fala quanto quer comprar, eles reservam os bitcoins e você tem 24 horas para fazer o depósito. Cadastrei, fiz o pedido, paguei e tive os bitcoins liberados em poucos minutos. (Demorei mais no meu internet banking do que no Biscoint Buy).

**Pros: Rápido, barato, "segura" o preço por 24h, taxa zero (promocional)

**Cons: Não serve pra vender BTC (ainda) apenas comprar, limites baixos, a taxa zero promocional acaba um dia.

Pra quem é holder, igual eu, que compra uma merrequinha todo mês co mo que sobra do salário, é uma mão na roda!
Parabens para a Biscoint e para o Jonathas Carrijo.
Excelente opção de serviço!
5  Local / Português (Portuguese) / KYC?? tem essa agora? on: April 01, 2019, 12:58:25 AM
Apareceu isso aqui pra mim:




Alguem tá sabendo o que houve? Precisa mesmo? Tem post explicando?
6  Local / Desenvolvimento & Discussões Técnicas / Como calcular a fee: dica do @osoriojr (Original my) on: December 11, 2018, 09:13:20 PM
Numa thread do facebook perguntaram como calcular a fee ideal para uma transação. O Edilson Osório Junior, Da Original My deu uma reposta tão completa que eu pedi se poderia replicar ela aqui para que fique guardada pra posteridade:


Cara, na OriginalMy eu faço da seguinte maneira após Segwit:

Cada input tem 181 bytes e cada output tem 34 bytes. E já considero 2 outputs: um para o OP_RETURN e outro para o troco... logo o num_outputs = 2.

Primeiro calculo os outputs:
transaction_size = ((num_outputs * output_size) + 10 + 33)
transaction_cost = transaction_size * fee_por_byte

(+10 e +33 são dois ajustes, em dois momentos, que fiz manualmente depois que entrou a segwit)(fee_por_byte é literalmente quantos satoshis você quer pagar por byte... dá pra pegar baseado bitcoinfees.earn)

Depois checo entrada por entrada disponível até encontrar saldo >= transaction_cost (que nesse momento só conhece as saídas)

A questão é que tem que ajustar o fee a cada novo input que entra, pois aumenta a transação em aproximadamente 181 bytes a cada input. Então, a cada loop com novo input válido, tem que recalcular.

transaction_size += input_size - total_inputs
transaction_cost = (fee_por_byte * transaction_size)

ao mesmo tempo que vou appendando essas entradas válidas numa matriz.

Quando o total das coins dos inputs (total_inputs_value) for maior que o transaction_cost reajustado a cada loop, anexo o output do script OP_RETURN e o output do troco (já provisionados lá no início)
O troco é calculado como total_inputs_value - transaction_cost

Gero a unsigned_tx com o array dos inputs, o array dos outputs, versão e lock_time
Assino
Envio a raw tx.

Tem dado certo. Em momentos de congestionamento, é só ajustar o fee_per_byte para o tempo que você deseja, que ele coloca a transação com o menor tamanho possível e a quantidade de fee correta para o tamanho da transação, para registrar naquele tempo.
Quote from: Matheus Grijó
Pqp até sentei para ler mais ficou algumas dúvidas!

1. Você pega via api o valor da fee no “bitcoinfee.earn”?

2. Esse aumento de 181 bytes é “achismo” certo? É um valor aproximado quero dizer.

3. Não saquei muito o conceito do troco 😞

Do mais vou copiar hehehe ❤️

Obrigado pela aula 😉
Quote from: Edilson Osório Junior
Matheus Grijó isso:
1) pego (correção, não está pegando... tá setado 3 sat/byte agora)
2) cara, descobri na unha, testando e testando e cheguei nesse valor. Antigamente tinha ele exato antes de segwit, depois de segwit, não encontrei e fui testando até encontrar o valor exato. Esse valor é estável.
3) ahhahah manda ver Smiley
Quote from: Matheus Grijó
Edilson Osório Junior beleza vou usar 181 então heheeh
Obrigado de coração ❤️🚀
Quote from: Edilson Osório Junior
Matheus Grijó se vc olhar essa tx: https://www.blockchain.com/.../40caed81e2401c630418ffb2d7...

vai ver que está calculando 3sat/byte que é o que está configurado nesse exato momento
Quote from: Edilson Osório Junior
Olha, antes de Segwit eu usava input com 143. achei essa ref: http://bitcoin.stackexchange.com/.../how-to-calculate...

Depois de segwit, tem que ajustar os outputs (2 no meu caso) + 33 e considerar cada input como 181. Se você tiver mais outputs, ou um só, o diff arredonda para 17 para cada output. eu uso 33 (sim, economizo 1 arbitrariamente no cálculo) para 2 outputs e o cálculo normalmente bate.

e depois, a cada loop encontrando um input válido, tem que recalcular a transaction_size e a transaction_cost.

basicamente é isso mesmo.
Quote from: Matheus Grijó
Edilson Osório Junior hmmmmmm agora fez sentido hehehe

Fica bem “econômico” desta forma 🙂
7  Local / Criptomoedas Alternativas / [DCR] Tutorial Split Ticket DecredBrasil.com (Video) on: November 13, 2018, 11:21:35 PM


Não tem DCR suficiente para comprar um ticket? Não tem problema, a pool DecredBrasil está testando o sistema de "split ticket" onde você consegue comprar tickets em conjunto com outros usuários de forma segura e confiável. Nesse video fazemos uma pequena demonstração do sistema.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=3RGoUQK0g24 (ou clique na imagem)
8  Local / Português (Portuguese) / [Video] Usando a seed da ledger sem o dispositivo físico on: November 04, 2018, 03:31:53 AM
Galera, fiz essa live no facebook hj sobre a ledger:

https://youtu.be/MS8xSv3SLFg

Uma das minhas preocupações com a Ledger era o que fazer caso eu perdesse o dispositivo. Sabia que era possivel recuperar a seed na electrum, mas e para as moedas que não são suportadas pela electrum? Nesse video vou mostrar uma ferramenta que permite a recuperação das chaves privadas (que podem ser importadas em outra carteira) de qualquer moeda da sua ledger.
9  Local / Português (Portuguese) / Ledger Nano S: Unboxing e Resenha on: November 02, 2018, 07:37:05 PM
Unboxing:

Ganhei uma Ledger Nano S na promoção da Anúbis Trade, e fiz um vídeo do unboxing dela:

https://www.youtube.com/watch?v=ZqavHCV87hY

Resenha:

Depois de algumas horas de uso, uma pequena resenha:

Suporte a moedas: 4/5
Usabilidade: 3/5
Compatibilidade: 4/5
Instalação: 5/5
"Sexyness": 5/5
Tamanho: 5/5

Média 4.5 / 5 (4.333... mas eu arredondei)

* Suporte a moedas:
Não suporta Decred Sad. Tirando isso, suporta moeda pra cacete! Mais moedas do que eu poderia pensar em usar. O software oficial também não suporta tokens ERC20 e eu preciso de um software não oficial para suportá-los. Esses dois probleminhas tiram meio ponto cada dela nesse quesito.

* Usabilidade:
Dois botões e uma telinha minúscula. Operações não triviais são ridiculamente dificeis de fazer. Se precisar recuperar da seed (sim eu testei isso) reserve uma tarde. Mesmo digitar o "PIN" é uma tarefa árdua com apenas as duas teclas. Poderiam ter pensado uma interface melhor, talvez com mais operações podendo serem feitas no computador, e apenas confirmações feitas nos botoes.

Outro problema é cabo. Idealmente a carteira deveria ser ligada diretamente no USB, sem uso de cabos. Mas o "plugue" dela é "fêmea", então exige um cabo para ser ligado. E se eu for transportar a ledger por ai (o que parecia ser a ideia, ja que vem com um prendedor para chaveiro e uma cordinha pra pescoço), preciso carregar comigo um cabo. Nada prático. Dois pontinhos perdidos na usabilidade.

* Compatibilidade:
Poucas carteiras dão suporte pra ledger, e apenas para BTC, ETH e LTC. Não muito legal. Mas o software oficial funciona muito bem, o que compensa esse problema.

* Instalação:
Super fácil. Não exige a redigitação de toda a seed. Facilimi de instalar e começar a usar. Vem com fichinhas para você anotar a seed também. Nota 5/5.

* "Sexiness":
Não sabia bem como expressar isso, mas achei o design dela muito bacana. Desde a caixinha até o produto em si. O visor, as fontes,a disposição dos botões. Tudo bem equilibrado e bonito, sem deixar de ser robusto. Merecia uma nota por isso.

* Tamanho:
Grande o suficiente pro visor ser legível, pequena o suficiente pra ser carregada de forma quase invisível. Cabe numa carteira, chaveiro, bolso de moedas. Excelente o tamanho.
10  Local / Português (Portuguese) / Descentralizando tudo on: July 27, 2018, 03:57:19 AM
Artigo publicado no meu blog:
http://blog.girino.org/2018/07/27/descentralizando-tudo/

Aqui vai um trechinho:

Esse artigo é Baseado na palestra de mesmo título criada por mim e pelo Gabriel Rhama para a campus party de Brasília1. Como o conteúdo é bem legal, achei que colocar ele por escrito seria também interessante. Pra facilitar, devo escrever em várias partes, uma pra cada um dos temas que abordamos na palestra.

Introdução
A primeira coisa que vem a mente quando falamos de criptomoedas2 é descentralização3. Criptomoedas são descentralizadas, Blockchain é consenso descentralizado. Mas o que isso quer dizer? Pra que serve isso? Porque isso é tão importante?

TCP/IP4
Vamos voltar um pouco no passado e falar sobre a internet. Na década de 1960 o governo americano financiou um projeto de pesquisa para a criação de uma rede de computadores. Não é a primeira rede, já existiam outras, abrangendo universidades, empresas, etc. Essa nova rede tinha um objetivo específico: resistir a ataques nucleares que tirassem do um ou mais dos computadores envolvidos. Até então, as redes eram estruturadas de forma centralizada (um computador central que se comunica com vários terminais) ou hierárquica (sem apenas um computador central, mas computadores ligados de forma em que alguns são concentradores das informações vindas dos outros). redes com esses formatos são extremamente frágeis em caso de ataque. Atacando um único computador você interrompe toda a rede.

A Darpa5, agencia de pesquisa do departamento de defesa dos EUA, junto com algumas universidades norte-americanas, desenvolveu então a ARPANET, e seu protocolo de comunicação, o TCP/IP. A ARPANET, que depois evoluiu e veio a se chamar Internet6, usava de um protocolo descentralizado, onde nenhum computador é mais importante que o outro e onde os caminhos entre um computador e outro se adaptavam de acordo com a disponibilidade dos mesmos. Com isso, se um computador saísse do ar por qualquer motivo, os outros continuavam se comunicando normalmente. Não havia um ponto central de falha. Tínhamos ai o primeiro uso da descentralização: Resistência a falhas e ataques.

O TCP/IP Foi o primeiro passo em direção a descentralização, a descentralização dos canais de comunicação.

Bitcoin78
Em 2008, Satoshi Nakamoto9 deu mais um passo em direção a descentralização: O Bitcoin10. Bitcoin é uma moeda digital descentralizada que funciona sobre um protocolo criptográfico. Era logo depois da crise de 200811, onde os bancos haviam criado uma bolha econômica e depois recorreram aos governos dos seus países para evitarem a falência, enriquecendo com dinheiro público ao mesmo tempo em que transformavam em pó as economias da população. A ideia do Satoshi era dar ao cidadão comum uma alternativa ao dinheiro digital que não fosse controlada pelos bancos.

Não tenho certeza se o Satoshi tinha noção de quão revolucionário era o sistema que ele criou. Acredito que pra ele, era só mais uma evolução dos sistemas de moedas criptográficas que tinham vindo antes, como o bit-gold12 ou o hashcash13. Inclusive, muitas das ideias que ele usou foram tiradas dessas precursoras.

Com o Bitcoin, o Satoshi se aproveita de mais uma vantagem da descentralização: Resistência a censura. Os bancos não podem mais fechar sua conta e recusar seu crédito, eles não tem mais controle sobre seu dinheiro.

O Bitcoin trouxe a descentralização do dinheiro!

(...)

Leia o restante em http://blog.girino.org/2018/07/27/descentralizando-tudo/

11  Local / Primeiros Passos (Iniciantes) / Como fazer uma carteira segwit P2SH na Electrum on: February 24, 2018, 09:23:59 PM
Pessoal, resolvi fazer esse pequeno tutorial aqui porque estou vendo montes de lugares aceitando segwit, mas nenhum deles aceita endereços bech32, que é o padrão de endereços da carteira electrum. Tem varios tutorias disso na web, mas nenhum em PT-BR, então resolvi fazer o "nosso".

Introdução:

O que é segwit?

Segwit é uma alteração no protocolo do bitcoin para permitir a evolução das soluções de escalabilidades escolhidas pelo time do Bitcoin-core (e pela comunidade). Ela torna o bitcoin compativel com a lightning network, corrige os problemas de "transaction malleability" e também reduz parcialmente o tamanho das transações, e consequentemente, das fees.

Porque existem dois tipos de endereço segwit?

Quando uma carteira envia uma transação segwit, ela precisa ter certeza que a carteira recebedora é compatível, por isso um tipo especial de endereço que indica que o segwit foi implementado foi criado. Esse novo tipo de endereço se chama "bech32". O problema é que esses endereços não são compatíveis com carteiras anteriores ao segwit. A maioria das carteiras atuais também não implementa esses endereços, precisando de modificações substanciais para passar a aceitá-los. Pensando nisso, criou-se um tipo de endereço "de transição" para o segwit, que nada mais é que um endereço "pay to script" (abreviado como p2sh), igual aos endereços de carteiras multi-assinadas ou de smart contracts, por exemplo. Assim como outros endereços p2sh, os endereços p2sh segwit começam com o digito "3".

Qual a vantagem de usar endereços segwit p2sh?

Hoje, a unica carteira que implementa endereços bech32 é a electrum. Todos os dias são anunciados novos serviços com suporte a segwit, mas nenhum deles com suporte a bech32. No brasil, a Foxbit já anunciou o suporte a segwit, mas apenas para p2sh. Lá fora, bitfinex e em breve a coinbase. Nenhuma delas com suporte a bech32. Muita gente (eu inclusive) acha que a electrum colocou o carro na frente dos bois ao implementar bech32 sem ter certeza de isso se tornar um padrão de fato. Então, hoje em dia, para aproveitar plenamente os beneficios do segwit, é necessário usar um endereço p2sh.

Passo a passo:

  • Crie a seed:
    • O jeito mais fácil de criar a seed é através da própria electrum: Inicie o processo de criação de uma nova carteira e prossiga até o momento em que ele gera a seed. Anote a seed e cancele tudo.
  • Crie uma nova carteira:
    • Abra a electrum novamente. Se vc já tem uma carteira criada, clique em "File" -> "New/Restore" (em portugues, "Arquivo" -> "Novo/Restaurar'). Se vc nunca usou a electrum antes, a opção de criar a carteira se abrirá automaticamente.
    • Selecione o nome do arquivo e clique em "Next" (pt: "Próximo")

    (Clique na imagen para abrir a original)
    • Selecione "Standard Wallet" e clique em "Next" (pt: "Próximo")

    • Selecione "I already have a seed" e clique em "Next" (pt: "Próximo")

    • Clique em "Options" e selecione "Bip39 seed".

    • Vai aparecer uma mensagem onde diz "BIP39 Checksum failed". Ignore essa mensagem.
    • Digite a "seed" anotada anteriormente e clique em "Next" (pt: "Próximo")

    • Na tela seguinte vai aparecer o "path" de derivação das chaves. Altere o numero "44" para "49". O resultado final deve ser assim: "m/49'/0'/0'". Clique em "Next" (pt: "Próximo")

    • Entre com a senha para a carteira, e conclua!

    • Pronto! Agora vc tem uma carteira p2sh segwit!

    Conclusão:

    Mesmo não tendo uma opção direta para a criação de carteiras segwit p2sh, as carteiras electrum tem suporte ao BIP39 e através dele você pode gerar a sua carteira e usufruir dos "descontos" do segwit. Crie os endereços e use a carteira normalmente!

12  Local / Mineração em Geral / Mineradoras "PoS" de baixo consumo. on: February 09, 2018, 06:51:20 PM
Pra galera que gosta de stake, olha o que eu recebi hoje no email:

https://www.stakebox.org/collections/stakeboxes
13  Local / Português (Portuguese) / Todo cuidado é pouco: Até macaco Velho cai em golpe! on: June 25, 2017, 05:32:03 AM
Galera, esse post é um relato do golpe que me aplicaram (por sorte consegui receber a grana de volta). Coloco aqui como um alerta de que as vezes até gente experiente acaba se empolgando ou se distraindo e caindo em golpes. Vamos a estorinha:

Em 25 de Maio, quando o spread do BTC no brasil estava no ápice, eu corri atras de formas de enviar grana rapida pro exterior para comprar BTC e tentar tirar a minha parcela de lucro na arbitragem. Confesso que foi algo bem irracional: mesmo com os 25% que chegou o spread, eu não imagino que conseguiria movimentar em tempo curto um valor significativo para que afetasse minha renda mensal ou até meu patrimonio em criptomoedas. Mas sabem como é, a gente vê VINTE CINCO PORCENTO e "os zôio engorda" como a gente diz na minha terra. Nessa brincadeira,fiz meu cadastro em todos os "famosos" (cex.io, bitstamp, xapo, etc) nas esperança de que algum deles me aprovasse rapido o suficiente pra eu conseguir mandar grana pra lá e arbitrar com lucro.

Foi nesse misto de ganacia e "medo de perder o bonde" que eu achei um link na wiki oficial do bitcoin. Sim, os scammers conseguiram colocar o link deles na wiki. Junto com todos esses que falei, estava lá uma tal "cryptovi.com". Empresa com sede nos EUA, o que me deu um pouco mais de segurança (olha como fui trouxa, golpista obviamente vai mentir o endereço da empresa, mas na hora nem me toquei). Googlei por "Cryptovi scam" e não tinha nada na internet (depois descobri, fui um dos primeiros). Enfim, não aprofundei nas verificações sobre a legitimidade da coisa (senão teria visto a data de registro do site recente demais, entre outros indicios que eu deixei passar).

E o que me atraiu pro golpe era exatamente o que deveria ter acendido TODOS os alertas: Aceitava Paypal. (Depois, lendo na internet descobri que 100% das vendas de bitcoin via paypal são golpe, pois o paypal bloqueia as contas de quem vende bitcoin).

Enfim, aconteceu: dia 25/5/2017, comprei 0.050 BTC (114 USD) na mão desses caras.

Um aparte pra outro alerta que piscou com letras vermelhas gigantescas de neon na minha frente e eu não prestei atenção: Quando paguei pelo paypal, a transação deu "erro", e o site informou que eu teria de fazer um "pagamento manual" a um endereço de email 3899445845@cryptovi.com (que era o numero da minha "ordem" no site).

Feito o pagamento, entrei em contato com o suporte, e, pasmem, ELES RESPONDERAM, me garantindo que feitas as verificações de segurança liberariam os bitcoins. Minha ordem passou para o estado "em processamento" e eu, feliz da vida, sem desconfiar de nada, mesmo com TODOS esses indicios, fiquei igual bobo esperando por uma semana. Passada uma semana, procurei o suporte de novo. Dessa vez, depois de dois dias, nenhuma resposta (da outra vez responderam em poucas horas). Estranhei e fui fazer, um pouco tarde, o dever de casa: google, whois, registro de empresas nos EUA, e a própria pagina da wiki, que tinha sido editada para remover os caras... oh oh... me fodi! E agora?

Bom, um dos lesados contou no forum do paypal que conseguiu reaver a grana usando o endereço BTC, prints da tela do site e relatos no btctalk de outras pessoas lesadas. Por sorte, eu tinha tirado um print no dia em que contactei o suporte, já começando a desconfiar mesmo. O site, então 1 semana e meia depois da minha compra, já estava fora do ar!

Abri uma disputa no paypal, sem resposta, escalei pra "claim", linkei os forums, colei os prints e torci pelo melhor.

E deu certo! Antes de ontem recebi do paypal um aviso de que a grana foi ressarcida, e hoje apareceu o credito no meu cartão de credito!

Moral da estória: eu consegui recuperar o prejuízo, mas acredito que foi pura sorte! Vi relatos de outros que não conseguiram (o truque usado pelo golpista é fazer esse pagamento para o email e não com as ferramentas de "merchant" do paypal, o que configuraria envio de dinheiro p2p e não "venda". Vendas são cobertas pelo contrato de reembolso do paypal, mas esses envios p2p não.

Enfim, resumindo, meus erros foram:
1- Não conferir idade do site
2- acreditar que informações numa wiki (ou seja, qualquer um edita) são confiáveis.
2a) Não conferir o historico da wiki pra ver quando e por quem a informação foi acrescentada ali.
3- acreditar que pelo endereço dos EUA a empresa era honesta (BURRO, endereços podem ser forjados, eu mesmo já fiz isso pra acessar serviços com restrição geográfica)
4- comprar bitcoin via Paypal. LEmbrem galkera, PAYPAL NÃO PERMITE VENDA DE BTC!!!!
5- Não desconfiar do "erro" na transação pelo site.
6- enviar grana para um email (i.e. p2p e não "venda") no paypal.
7- Sei-la, tantas outras coisas que poderia ter feito e não fiz!

Enfim, galera, se vcs acham que estão antenados contra os golpes, cuidado, é exatamente qd vc está mais confiante que fica mais vulnerável. DESCONFIE SEMPRE! Na terra de golpes, sigo o conselho de um dos meus amigos mais antigos (ele falava isso em relação a como reconehcer travestis em meio às prostitutas de rua, mas vale pra golpes com bitcoin também):

1% de dúvida é 100% de certeza!

Não ignore nunca nenhum indício de scam, golpe ou fraude, por menor ou mais irrelevante que seja.
14  Local / Mineração em Geral / onde compro material para montar um rig? on: May 30, 2017, 05:18:34 PM
Galera,

estou voltando a minerar e queria montar um rig decente. As placas eu consigo fácil por aqui, mas queria dicas de onde comprar:

1- Cabos riser 1x para 16x (preciso de 3)
2- Expansor PCIe 1x (1 entrada e 3 saidas)
3- Rack para montar as placas.

Vi a venda o Rig pronto, mas eu não quero. Já tenho a placa mãe e a fonte, que vou reaproveitar do rig antigo. As GPUs eu tenho um fornecedor local. Preciso mesmo só desses acessórios.

Quem souber indicar, eu agradeço.
15  Local / Português (Portuguese) / Lightning Network para leigos (artigo do criador da decred) on: May 24, 2017, 01:40:30 AM
O pessoal sempre pediu explicações sobre como funciona o lightning network. Esse artigo não tecnico escrito pelo criador da decred ficou bem didático, apesar de não ter nenhum detalhe técnico:

https://blog.decred.org/2017/05/23/Lightning-Network-in-Practice/
16  Local / Português (Portuguese) / O que rolou na IV Bitconf on: December 12, 2016, 08:13:46 PM
Esse post eu escrevi no facebook, então algumas coisas podem ficar estranhas aqui no btctalk. É um resumo do que eu assisti da IV Bitconf que rolou nesse final de semana em Belo Horizonte.

O que rolou na IV Bitconf
Bom gente. primeiro já vou começar esclarecendo que esse é um relato pessoal da IV Bitconf, não um relato oficial, nem completo, nem puramente factual. 99,9% do que tem aqui é opinião, os outros 10% são impressões parciais do que aconteceu. Mas acha que minha experiência na Bitconf pode ser uma fonte legal de informação pra quem não foi.

A IV Bitconf

Como a maioria do pessoal, imagino, o objetivo não era só assistir as palestras, mas sim conhecer pessoas, medir o “clima” da comunidade bitcoin, ter novas ideias e ver as ideias que o resto da galera estava tendo. Então vou tentar falar desses aspectos todos.

A Bitconf desse ano aconteceu em Belo Horizonte, MG. Como é minha cidade de origem, onde tenho família e tudo, animei a ir dessa vez. Acabei optando por ficar no hotel da própria conferencia (Mercure Lourdes) pela facilidade de locomoção, já que minha família que poderia me hospedar morava em regiões mais distantes da cidade. O local da conferencia era muito bom, e parece que a infraestrutura era de qualidade (mas quem pode falar mais sobre isso é o Wladimir Crippa, o Marcelo Brant e os outros organizadores). O coffee -break era excelente e bem farto, e a localização central permitia acesso a vários restaurantes e locais da cidade. Enfim, os organizadores estão de parabéns!

As palestras

Infelizmente eu não pude assistir todas por questões logísticas (tinha de visitar família, etc), então vou fazer um resuminho do que vi e do que achei de cada uma, e deixar pra outras pessoas comentarem as que eu não pude ver.

Primeiro dia

O primeiro dia começou com a palestra do André Horta. A palestra era introdutória ao bitcoin e ao ecossistema bitcoin no Brasil e no mundo, e claro focada em promover o uso de bitcoin. Apesar de ser focada em um publico leigo e empresarial, a palestra é muito boa e dá ideias bacanas sobre como divulgar bitcoin nesse meio. O André é um excelente palestrante, e a palestra dele foi fluida e participativa, e acredito que uma excelente opção pra abertura do evento, pra cativar o publico “não iniciado” que estava lá.

Em seguida veio o Jonathas Carrijo, da Biscoint.io. Eu confesso que estranhei tanto o tema como o começo da palestra dele. Ele falava sobre como a gente precisa gastar os bitcoins pra movimentar a economia, mas de uma forma muito teatral, e pouco informativa. E como não é (era?) esse o foco da Biscoint, achei bem estranho mesmo. Já na metade da palestra tudo mudou. Ele começou a apresentar o novo projeto dele, e ai o “teatro” do inicio se encaixou! O Hodler (hodler.io), novo projeto dele, é na minha opinião a maior inovação que foi apresentada ali na Bitconf. Talvez mereça até um post a parte. Em linhas gerais, é simplesmente um sistema que monitora sua carteira e permite que você reponha os bitcoins a preço de mercado, sempre comprando pelo preço mais barato (ai entra então a relação com a biscoint.io). De certa forma um incentivo para que os “hodlers” possam continuar “hodlando”, mas movimentem a economia bitcoin com gastos de dia a dia. Eu sei que isso não parece nada de mais, mas o “pulo do gato” é o que vem depois: O hodler “retém” os bitcoins comprados ao longo do mês, e ao final apresenta uma fatura a ser paga pelo usuário. Paga essa fatura, os bitcoins são “liberados” e o usuário fica novamente com aquele “limite” para gastar durante o mês.

Foi bem aqui que meu foco de atenção mudou. Tem um ano que eu discuto com minha esposa (bancária de profissão e vocação) sobre o bitcoin precisar dos mecanismos de credito ao consumidor que o sistema bancário tem pra poder deslanchar. E o Hodler é isso! Um mecanismo de credito direto, como um cartão de crédito, pro usuário usar em bitcoins. Como a gente diz em minas, “meus olhim enchero d’água” nessa hora! O cara tava apresentando uma solução pra um problema chave do bitcoin, que eu tava matutando a meses! E a solução no final era “boba” e simples :-D Taí um projeto que eu torço pra dar certo!

Se a bitconf tivesse parado por aí eu já estaria satisfeito, mas teve mais coisa legal! Depois do Carrijo veio Luiz Felipe Martins, da Bitvale, apresentando um ATM Bitcoin desenvolvido por eles. Confesso que hardware não é meu forte, então apesar de parecer tecnicamente muito boa a solução que eles criaram, não sou a melhor pessoa pra avaliar. Do lado de fora eu já tinha conversado com ele bastante, e visto o funcionamento da maquininha. Ela é pratica, intuitiva e principalmente, barata comparada com outras opções. Do ponto de vista comercial é um grande avanço ter alguém como eles produzindo ATMs no Brasil.

Nessa hora eu sai pra almoçar e “bati” um PF num boteco próximo.

Quote

PF com tropeiro, Carne de panela, pedaços de bacon no macarrão e tudo mais que a culinária de rua mineira permite! Bão demais da conta!
Pra quem vai a BH, não vão atrás de “restaurante de comida mineira”, comam um bom PF, uma comida em algum boteco, que é neles que mora a verdadeira gastronomia de BH! Wink

Voltando a Bitconf, a tarde começou com o Diego Vellasco falando sobre segurança. Um conteúdo que as vezes pode ser chato, mas que é importante pra quem mexe nessa área. Saber quem são os inimigos e quais recursos você pode contar para proteger seus sistemas e os ativos dos seus clientes é essencial. A palestra conseguiu manter um nível adequado pro público leigo, sem deixar de ser relevante pro público técnico.

Em seguida A Palestra do Gustavo Grossi (não consegui linkar ele, alguém sabe o perfil dele?), sobre produção de conteúdo. O foco dele é em produção de posts relevantes de blog, com otimização de SEO para atrair o público relevante. Alias, ele tem uma influencia bem grande e em estar escrevendo esse texto. Acho que se não fosse pela palestra dele eu nem teria animado. Por alto, o conteúdo da palestra era: contrate um ghost writer, mas não deixe tudo a cargo dele, o publico precisa “sentir” a presença dos responsáveis pela empresa. Use as ferramentas de SEO pra otimizar seu blog nas buscas, produza conteúdo relevante pra atrair o seu publico pra pagina da sua empresa.

A ultima palestra do sábado foi outro ponto forte. O Ricardo Linhares é um palestrante de primeira. Em termos de qualidade da apresentação posso dizer sem sombra de dúvida que a palestra dele foi a mais cativante. Além disso ele trouxe uma perspectiva muito diferente da que vinha sido abordada até então: Como o bitcoin se encaixa no sistema de comercio internacional, e onde os entusiastas e empresas do ramo devem atuar nesse meio. Uma introdução excelente ao mundo do comércio exterior seguida de ideias e potenciais do bitcoin nesse mundo. A gente precisa MUITO de gente fazendo isso que ele fez: identificando os problemas e potenciais para soluções envolvendo o bitcoin, procurando nichos e mercados em potencial, saindo da rotina de olhar pro próprio umbigo e tentar fazer de novo aquilo que já fizeram antes. Excelente pra gente pensar fora da caixinha de hodler/trader/noob que estamos acostumados.

Cervejada!

Por coincidência, a Bitconf caiu no mesmo final de semana que o aniversário da Foxbit, então boa parte do pessoal foi lá. Foi bom pra bater papo e conhecer mais gente de BH, saber mais sobre como anda o cenário mineiro de bitcoins e tudo mais. Além é claro de matar a saudades de uma cachacinha da roça (branquinha, que desce rasgando o peito e despedaçando os sonhos). A dedicação da galera à “causa” bitcoin ficou bem evidente. E claro, um agradecimento especial ao Guto Schiavon, João Canhada e ao Raphael Soffieti pelo evento.

O Domingo

O domingo começou técnico, muito técnico (e isso é bom)! A primeira palestra foi do Fernando Guisso, da pague.nu. Ele precisa melhorar ainda a autoestima na hora de se apresentar. Mas apesar do inicio quase autodepreciativo, foi uma ótima aula de como interagir com as APIs do bitcoin. O que você precisa, como fazer, etc. Excelente ponto de entrada para quem é desenvolvedor e quer começar agora nesse mundo.

Em seguida veio o Eduardo Ribeiro Filho, da Capital Digital Aberto. Ele apresentou os principais produtos da empresa, onde eles usam bitcoin como backend pra diversas operações financeiras focadas no mercado imobiliário. Do ponto de vista de produtos, a CDA está extremamente avançada com já uma utilização extensa das tecnologias do bitcoin. Mas a palestra acabou se alongando demais, e ficamos sem saber qual seria o produto chave da empresa. As perguntas no final ficaram focadas só no ultimo produto apresentado, que nem parece ser o “carro chefe” da empresa. Uma apresentação mais focada em um único produto seria mais atrativa pra cativar o publico do evento. De certa forma essa palestra foi complementar à palestra do Ricardo Linhares da véspera, já que alguns dos produtos da CDA suprem as necessidades apontadas por ele para o comércio exterior.

Depois do almoço foi a vez da palestra do Corrado Lantieri. Infelizmente, acabei me atrasando pra voltar do almoço e perdi essa palestra. Mas confesso que pelo que ouvi, não perdi muita coisa. Pelo que parece, o que ele faz é MMN, e nem preciso dizer o que acho de MMN.

Em seguida veio o Esdras Eduardo. De longe a melhor palestra técnica do evento, mas talvez excessivamente técnica pro nível do pessoal presente. Estimo que só uns 50% da audiência eram realmente desenvolvedores. Ele mostrou passo a passo como desenvolver smart contracts na plataforma Ethereum, mostrou as ferramentas que já existem e o que esperar de ferramental pro futuro (tem coisas interessantes vindo aí). Minha relação com os smart contracts, em especial com o modelo de smart contracts da Ethereum, é controversa. Por um lado eu acredito em smart contracts como uma excelente ferramenta que só é possível através do uso de criptomoedas, por outro lado, a imutabilidade dos contratos aliada à falibilidade do modelo de programação (em especial um modelo aberto como na Ethereum) gera muita margem pra erros com potencial de prejuízo imensos. O modelo de desenvolvimento para contratos ainda precisa evoluir muito até que eles sejam realmente uma ferramenta confiável (aqui eu falo de processos e ferramental de engenharia de software mesmo).

Mas voltando da digressão pra palestra, o Esdras não falou isso abertamente, mas eu passei a enxergar o ferramental de smart contracts da Ethereum como bem mais que o conceito tradicional de smart contracts (i.e., operações envolvendo dinheiro que são disparadas de acordo com regras fixas), mas sim como uma plataforma de desenvolvimento para aplicações distribuídas, que podem nem mesmo envolver dinheiro (a não ser pela remuneração de quem processa as requisições pra você). Seguindo esse caminho, não de contratos financeiros e sim de aplicações que tem suas regras de negócio processadas de forma distribuída na blockchain, acredito que os smart contracts tenham um grande futuro pela frente.

Infelizmente logo depois da palestra do Esdras eu tive de abandonar o barco (não sem antes aproveitar o coffee break, que novamente estava excelente). Então não vou poder falar das palestras seguintes. Peço desculpas ao Fabiano Dias, Antonio Hoffert e ao Sebastián Serrano por isso. Mas tive grandes conversas com todos os 3 do lado de fora das palestras e no coffee break que foram super esclarecedoras e produtivas.

Rádio corredor

Claro que a grande atração do congresso são as conversas fora do evento principal, no corredor, com um pão de queijo, um cigarro ou um café na mão. Foi ali que conversei bastante com o Wladimir Crippa e o Marcelo Brant sobre o evento, a comunidade e as ideias do bitcoin. Foi ali que eu tive conversas sobre empreendedorismo, financiamento de projetos, inovação e startups com o Jonathas Carrijo e o Fabiano Dias. Foi ali que tive papos técnicos com o Esdras Eduardo e o João Vitor (sorry, não consegui te marcar). Onde conheci e bati papo com o Douglas Boldrini, Joeldo Holanda, Raphael Soffieti, Rafael Felício e outras personalidades do bitcoin. E onde conversando com o Sebastián, mudei muito minha visão da Ripio, e entendi muito do que acontece no funcionamento dela. Foi uma pena eu não conseguir assistir a palestra dele, acho que tinha muito a acrescentar, principalmente na área de atuação da Bitpagos, que é serviço de “merchant” que antecedeu a Ripio. E eu ainda queria uma explicação menos evasiva de como diabos ele consegue aqueles preços Wink

Enfim, foi um encontro muito proveitoso, conheci muita gente, fiz muitos contatos e tive uma visão ampla do cenário de empreendedorismo ligado a bitcoin (e tive também umas trinta ideias de palestras pra fazer o ano que vem, vamos ver se alguma delas vinga).

Agradeço todo mundo que ajudou a tornar isso realidade, e peço encarecidas desculpas pelos erros e omissões. Quem puder, sinta-se a vontade pra me corrigir e comentar, porque como eu disse no começo, esse texto é feito de opiniões e impressões pessoais que aceitam tanto correções como críticas. E ajudem a marcar as pessoas que eu não consegui (em especial o Joao Vitor, o Sebastian, o Gustavo Grossi e o Ricardo Linhares).

No mais, Gerais!
17  Local / Português (Portuguese) / wiki bitcoin.it fora do ar??? on: June 21, 2016, 07:35:10 PM
Galera,

Eu sempre usei a wiki em https://en.bitcoin.it para consultar as mais diversas informações sobre BTC, detalhes do protocolo e tudo mais. Mas a algumas semanas que não consigo acesso ao site. Alguem sabe o que acontece? Está em outro endereço ou morreu de vez?
18  Local / Criptomoedas Alternativas / [ANN] Lançamento da DECRED Brasil Stake Pool. (Pool para mineração PoS) on: May 29, 2016, 02:23:14 AM
Decred Brasil Stake Pool

É com prazer que anunciamos o lançamento da Decred Brasil Stake Pool, a pool oficial da DECRED para o Brasil e América do Sul:

http://stake.decredbrasil.com

Para garantir a integridade e desempenho da nossa pool, trabalhamos com 3 servidores para mineração pos sincronizados e em localizações geográficas distintas (São Paulo, Porto Alegre e Nova Iorque), e temos nosso servidor Web localizado no Brasil para maior velocidade de acesso para os usuários Brasileiros.

O sistema está totalmente traduzido para Português, e permite que o usuário escolha qual idioma ele prefere. É a unica Stake Pool DECRED com suporte a mais de um idioma. Pretendemos lançar traduções em Espanhol e outras linguagens em breve. Nosso suporte também é bilíngue, e atende tanto em português como em inglês, a gosto do freguês.

Esta pool é uma das 10 pools oficiais do DECRED, tendo sido auditada e recebido o aval dos desenvolvedores da moeda.

Vantagens da mineração pela pool:

1. Segurança:
A pool não tem acesso ao seu dinheiro. Graças ao uso de chaves multi assinatura, a pool consegue minerar em seu nome, mas não consegue sacar as moedas mineradas. Isso garante uma mineração 100% segura e sem riscos de perda o invasões por "hackers". Após comprados os "tickets" de mineração, sua carteira local pode ser bloqueada com senha  ou mesmo desligada, garantindo assim sua segurança. Enquanto isso a pool minera em seu nome, sem risco algum para o dinheiro que não saiu da sua carteira.

2. Disponibilidade:
A pool possui 3 servidores de mineração, em 3 localizações geográficas distintas, garantindo que a mineração nunca seja interrompida. Um dos servidores no exterior garante que mesmo que toda a internet do Brasil seja cortada "de uma vez", pelo menos um servidor continurá minerando e garantindo que seus lucros não cessem. Além disso, temos uma equipe de suporte que monitora 24h por dia o funcionamento dos servidores, atuando com a maior brevidade em caso de alguma falha.

3. Economia:
Com os preços atuais, minerar numa pool é a forma mais barata de se minerar PoS. Você não gasta com energia para manter o computador ligado 24h/dia ou contratar uma VPS. Minerar pela pool sai mais barato do que as mais baratas VPS.

Para mais informações sobre mineração PoS na moeda DECRED, veja a documentação oficial (em inglês): https://docs.decred.org/mining/proof-of-stake/

Há também o grupo DECRED Brasil no facebook, onde podem encontrar muitas informações e tirar suas dúvidas com especialistas e usuários mais experientes: https://www.facebook.com/groups/667062416769204/

Com essa pool esperamos incentivar os usuários do Brasil a aderir a DECRED e a mineração PoS.

Sejam todos bem vindos na pool Decred Brasil.

Edit: Fizemos um tutorial. Ele está disponível na pagina inicial da pool, ou no link: https://goo.gl/eSq80h
Edit2: Fizemos um "dashboard" com informações relevantes pra mineração, como preços dos tickets, valores minerados, tamanho da mempool, etc: http://stats.decredbrasil.com/dashboard/
19  Local / Português (Portuguese) / Gerenciador financeiro que suporte BTC (gratuito) on: March 21, 2016, 11:23:33 PM
Pessoas,

Hoje eu uso o gnucash para organizar meu orçamento familiar, mas ele não suporta BTC nativamente e eu tenho um trabalhão para poder gerenciar minhas "contas" em BTC. Queria saber de vocês se alguem usa algum outro que suporte e poderia me sugerir.

Requisitos:
- Permita importar arquivos OFX do meu banco (sem usar programas externos para converter OFX em outro formato)
- Tenha suporte a BTC como moeda nativamente.
- Seja gratuito ou barato (< 10 USD)

Extras que cairiam bem:
- Seja open source
- possivel de automatizar a busca por cotações do BTC
- suporte para celular
- sincronização entre celular e computador (pode ser diretamente ou via dropbox ou google drive)
- suporte a criptografia e senha

Quem souber de algum, mesmo que não tenha usado, indique que eu testo.

Obrigado a todos.
20  Local / Desenvolvimento & Discussões Técnicas / Como fazer um double spend? on: March 06, 2016, 09:10:27 PM
Recebi a seguinte pergunta em PM. Como não tenho uma resposta definitiva, trouxe a questão em publico porque isso beneficia mais gente e dá a mais pessoas a oportunidade de opinar. A pergunta foi assim (devidamente anonimizada):

Quote
Gostaria de saber se você me ensinaria a executar um double spend pela carteira BitcoinQT
Tenho uma transação em que coloquei um valor de taxa muito baixo e por isso a mesma não foi confirmada...
pelo que entendi, a carteira que estou usando vai continuar a reenviar a transação para a blockchain até que essa seja confirmada... Tem como eu quebrar esse loop?

Vamos começar pelo fácil: como quebrar o loop?
- Excluindo a transação diretamente na carteira com ferramentas "avançadas" como essa: https://github.com/jackjack-jj/pywallet (obs. nunca usei, então não sei nem se funciona com as versões atuais)
- Exportando todas as PK da carteira e importando em uma nova carteira. (veja aqui como exportá-las e aqui como importá-las).

Lembrando que é necessário deixar a carteira offline por 48 a 72h para que a rede "esqueça" a transação. Senão sua carteira vai recer a transação de outro node e começar o loop todo de novo.

Agora existe a solução de fazer o double spend. (nunca fiz, então minha reposta é só uma indicação do caminho a seguir, mas vc vai precisar trilhar ele sozinho). Após a versão 0.12.0 o bitcoin-qt permite a substituição de transações por outra com fee maior. Só que ela não te dá uma interface pra fazer isso, então vc tem de criar a transação "manualmente". Existe essa ferramenta que encontrei, desenvolvida pelos proprios devs do bitcoin para testar essa funcionalidade: https://github.com/petertodd/replace-by-fee-tools

Se você quer apenas que a transação se complete, use essa ferramenta para aumentar a fee.

Eu passei por um problema semelhante, mas como meu full node estava desatualizado, no tempo que eu levei para sincronizar meu bitcoin-qt a transação original foi confirmada, então acabei não tendo a oportunidade de testar.

Se mais alguem tiver ideias de como tratar esse problema, sintam-se a vontade de postar abaixo.
Pages: [1] 2 »
Sponsored by , a Bitcoin-accepting VPN.
Powered by MySQL Powered by PHP Powered by SMF 1.1.19 | SMF © 2006-2009, Simple Machines Valid XHTML 1.0! Valid CSS!